EGITO - Introdução

 

Herodoto, o antigo historiador e viajante grego, descreveu uma vez o Egito como sendo “ a dádiva do Nilo”, e mesmo antes do nascimento de cristo que viajantes foram atraídos por imagens de pirâmides, da esfinge, da antiga Luxor e do rio Nilo. Os faraós, os Gregos, os Árabes, os Romanos, Turcos e Ingleses, todos eles governaram o Egito, e o moderno é então uma mistura destes legados, das influências do Islã e do séc. XX.

Aldeias de tijolos de argila estão ao lado de ruínas faraónicas, rodeados de edifícios de aço, pedra e vidro. Beduínos vivem em tendas de pele de cabra e agricultores lavram a terra com as ferramentas simples dos seus antepassados.

Os nativos vestem-se com longos e flutuantes mantos, outros com Levis e Reebocks, e o tráfego na cidade compete com carroças puxadas por burros e cabras.

Em lado nenhum são estes contrastes representados de forma tão colorida como no Cairo, uma cidade maciça apinhada de gente e a soar a buzinas de carros e a sirenes vindas dos bairros num chamamento dos fieis para a oração. No entanto, o Egito não é só caos e algazarra, e também um mergulho de sonho de um mergulhador, uma tranquila caravana de camelos pelo deserto ou uma preguiçosa barca a descer o Nilo.

País: Republica Árabe do Egito

Área: 1.001.449 km2

População: 67 milhões

Capital: Cairo

Povo: Berberes, Beduínos Nubios

Língua: Árabe

Religião: 90% Islâmicos, 7% Cristãos

Governo: Republica

Moeda: Libra Egípcia

Principais industrias: Petróleo, metais, turismo e agricultura (especialmente algodão)

Principais parceiros económicos: Estados Unidos, C. E., Japão

 

HOME